Pesquisa aponta Bruno Reis com o dobro de votos de Isidório e apoio de Bolsonaro como negativo; confira

1
91

Apesar das especulações do final do ano passado, que não o colocavam na liderança da disputa pelo Palácio Thomé de Souza, pesquisa divulgada nesta quinta-feira (21/5), aponta que Bruno Reis (DEM) venceria a disputa para a  Prefeitura de Salvador com o dobro de votos do segundo colocado, Pastor Sargento Isidório (Avante). O levantamento, feito pelo Paraná Pesquisas e encomendado pelo Bahia Notícias, revelou, ainda, que a maioria dos soteropolitanos reprova o governo Bolsonaro e que o apoio público do presidente pode ser negativo ao candidato.

Considerando apenas oito candidaturas, o atual vice-prefeito aparece como opção para 35,5% dos eleitores, enquando o pastor receberia 16,7% dos votos. Lídice da Mata (PSB) estaria em empate técnico na segunda colocação, com 12,6%, considerando a margem de erro de 3,5%. Esse cenário exclui o nome de Leo Prates, atual secretário de Saúde do município, que já manifestou interesse em ser candidato ao pleito em 2020, pelo PDT.

As outras opções eram: Major Denice (PT), com 4,4% de intenções de voto; Olívia Santana (PCdoB), com 4%; Hilton Coelho (PSOL) com 2,4%; Cezar Leite (PRTB), com 2,3%; e Eleusa Coronel (PSD), com 1,1%. Pouco mais de 15% dos pesquisados disseram não votar em nenhum dos candidatos apresentados e 5,1% não souberam responder.

Em outro cenário, dessa vez com 13 candidatos, Bruno Reis também levaria a melhor, segundo os dados da pesquisa. Ele recebeu 31% das intenções de voto, enquanto a maioria dos candidatos empataria, observando a margem de erro. Isidório foi escolhido por 12,9% dos entrevistados e Lídice por 11%.

A lista segue com Léo Prates (8%); Irmão Lázaro (5,5%); Major Denice (3,7%); Olívia Santana (3,4%), Hilton Coelho (2,2%); João Carlos Bacelar, do Podemos, (2,1%) e Cézar Leite (1,8%). Eleusa Coronel, Niltinho (PP) e Celsinho Cotrim (Pros) não atingem 1% das intenções de voto. Nenhum deles foi a opção de 13,2% dos entrevistados, enquanto 3,9% não souberam ou não opinaram.

BOLSONARO

A pesquisa questionou, ainda, o governo Jair Bolsonaro: 70% desaprovam as atitudes do presidente, o contrário do governador Rui Costa (PT), que foi aprovado por 77%, e do prefeito ACM Neto (DEM), positivo para 75%.

A gestão Bolsonaro só foi considerada “boa” ou “ótima” para 17% dos entrevistados, enquanto 46,2% dos soteropolitanos a consideram “péssima” e outros 12,6% optaram por “ruim”. O apoio público do presidente a algum candidato também não foi visto com bons olhos: 51,5% dos entrevistados dizem que isso diminuiria as chances de votar no escolhido pelo chefe do Palácio do Planalto. Para outros 15,9%, o apoio de Bolsonaro aumentaria as chances de voto, enquanto 29,4% afirmaram que nada mudaria.

Por sua vez, o apoio do prefeito ACM Neto aumentaria as chances de voto para 52% e diminuiria apenas para 12%, não fazendo diferença para 33,8% dos eleitores. O número é similar quando considerado o apoio do governador Rui Costa: para 52% , um gesto de Rui aumentaria a probabilidade de votar em seu candidato, enquanto 13,2% dizem que diminuiria e 32,3% não se importariam.

Os entrevistados também tiveram que responder sobre o apoio do ex presidente Lula, considerado benéfico por 37,6% e sem importância por 33,9%. O petista diminuiria a intenção de votos de 25,1% dos entrevistados.

A pesquisa ouviu 820 eleitores da capital baiana entre os dias 16 e 20 de maio de 2020. A margem de confiança é de 95% e a margem de erro de 3,5% para mais ou para menos. O levantamento está registrado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here